Série TCC: Trabalhadores da terra

Unir duas paixões em um mesmo trabalho. Foi assim que a acadêmica Andrieli Maria Minatti definiu seu Trabalho de Conclusão de Curso sobre as famílias agricultoras de Nova Trento. Em Trabalhadores da Terra, Andrieli utiliza a sua visão perspicaz para captar momentos do cotidiano das famílias e sua paixão pela cidade em que nasceu. O livro-reportagem fotográfico tem mais de 150 páginas nos quais conta momentos que passou junto das famílias, registrando com fotos e textos.

Como surgiu a ideia de retratar as famílias agricultoras no seu Trabalho de Conclusão de Curso?

Meu desejo era fazer um trabalho que, de alguma forma, falasse da história de Nova Trento, de algo que foi iniciado pelos meus antepassados. Comecei a pensar nas possibilidades e vi na agricultura familiar uma grande oportunidade para produzir boas fotografias e contar lindas histórias de simplicidade, muito trabalho e dedicação, e foi o que eu encontrei. Cenários lindos e histórias encantadoras.

Como foi a forma que você usou para retratar o cotidiano dessas famílias?

Usei a fotografia como suporte principal de meu trabalho. Como meu desejo era fazer um registro documental, comecei a acompanhar algumas famílias ainda em setembro de 2014 devido ao tempo das safras, como a do fumo, por exemplo, que inicia em junho e termina em março, e da cachaça que também é feita apenas nos meses de inverno. Fui mantendo contato com as famílias e, a cada novo processo, eles entravam em contato comigo e eu me organizava para fazer a visita. Para complementar as fotografias, utilizei como técnica o jornalismo literário e produzi perfis das famílias. Assim o livro ficou dividido em cinco capítulos, três deles com fotografias e perfil da família e dois com um texto mais curto contextualizando acerca da família e da cultura, e uma galeria de fotos. Para retratar o cotidiano eu precisei realmente fazer parte do cotidiano das famílias por algum período. A família Till, por exemplo, que planta fumo, uma das culturas mais complexas, na minha opinião, já estava habituada com a minha presença.

Você tem alguma ligação com as famílias agricultoras retratas?

De certa forma sim, com algumas delas. A família Wisintainer tem parentesco com a minha, o Sr. Alexandre é tio de minha mãe. Com a família Wolf também havia ligação, a senhora Juventina é irmã de minha mãe e a família Will eu já conhecia por meio de uma visita à comunidade, feita pela Pastoral da Juventude, da qual eu faço parte. As famílias Veneri e Till eu conheci especificamente durante o trabalho. Embora as famílias Wisintainer e Wolf tenham parentesco comigo, a escolha foi feita com mais foco na cultura. A forma artesanal com a qual Agenor produz o vinho é quase que única no município e a família Wolf é a única da cidade que produz carvão vegetal.

Como foi ver concretizado este livro-reportagem fotográfico?

Eu não tinha noção que ia dar tanto trabalho quando propus o formato. Foram muitas visitas, muitas informações sobre cada processo. Além de fotografar e escrever os textos, também fui eu quem tratou as fotos, as escolheu dentre tantas e também fiz o projeto gráfico e a diagramação. Por isso, ao vê-lo terminado, senti uma sensação maravilhosa de missão cumprida.

Por Ismail Emiliano Pereira Filho

Edição: Carlos Praxedes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s