Troca de experiências no Encontro dos Jornais-Laboratório de Santa Catarina

Nesta quarta-feira, 24, o curso de Jornalismo da Univali promoveu o 6º Encontro dos Jornais-Laboratório de Santa Catarina. No período da tarde, representantes de universidades do estado que produzem jornais-laboratório estiveram presentes no campus de Itajaí. Professores e alunos compartilharam suas experiências, as dificuldades, os desafios e  os bastidores dos seus respectivos jornais. Confira abaixo algumas fotos do encontro vespertino.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Nova edição do Cobaia traz cobertura especial do Olhares Múltiplos 2012

A edição de junho/julho do Cobaia, jornal-laboratório do curso, já circula pelos corredores da Univali. O evento Olhares Múltiplos ganhou destaque nas páginas da publicação, em cobertura especial realizada pelos acadêmicos da disciplina Reportagem Especial. A conferência internacional Rio +20 também é pauta nesta edição que traz, ainda, reportagens produzidas por alunos do primeiro período do curso, na disciplina Técnica de Reportagem.

Clique aqui para ler online. Boa leitura!

O 6° Encontro de Jornais Laboratórios é nosso!

por Raquel da Cruz

Foi dito aqui há algumas postagens que, no dia 09 de dezembro, o Centro de Eventos da UFSC sediaria o 5o Encontro de Jornais Laboratórios de SC. Pois bem, o professor Sandro Galarça, os acadêmicos Wagner Heinzen e Letícia Dias e eu (Raquel da Cruz), estivemos lá e trazemos boas notícias para o curso. A próxima edição do evento vai ser aqui, na nossa casa.

Estavam concorrendo para sediar a 6ª edição o campus da Unisul de Tubarão e a Univali – Campus Itajaí. Como não fazemos um evento deste porte desde 2002, e os nossos vinte anos passaram em branco, vamos comemorar em 2012. Foi votado e decidido que em novembro do próximo ano, ainda sem data confirmada, receberemos os cursos de Jornalismo para dar continuidade às discussões.

Somos o primeiro estado a fazer eventos dessa natureza no país (pelo menos de que se tem notícia), e o desafio agora é ampliar a mesa redonda. Essa é uma ideia lançada pela professora Raquel Wandelli, da Unisul – Pedra Branca, e que estará em pauta nas próximas edições. As pretensões são convidar jornais laboratórios dos cursos de Comunicação Social do Rio Grande do Sul e Paraná e tornar o encontro regional.

De qualquer forma, a próxima edição só vai acontecer se nós, alunos e professores, dedicarmos nossos esforços para fazer um bom evento. Novembro de 2012 ainda está só no calendário, mas as mobilizações devem começar já.

5º encontro e seus desdobramentos

Além de socializar experiências com outras seis instituições do estado, o encontro foi uma oportunidade para discutir avanços e perspectivas para os jornais laboratórios em relação à convergência midiática. Afinal, vale à pena ter um jornal laboratório impresso, ou apenas mantê-lo online?

Outra questão grifada foi o bloqueio social dos novos acadêmicos no momento da apuração das matérias.  Professores apontaram como principal desafio fazer com que os alunos vão às ruas para conversar com suas fontes. Para os acadêmicos presentes, as dificuldades são reais e acontecem com a grande maioria. O professor da Faculdade Estácio de Sá, Billy Culleton, deu seu recado aos futuros focas: “O que é escrito sem esforço de ir à rua, vai ser lido sem prazer”.

Quem quiser saber mais sobre as discussões que aconteceram durante todo o dia pode acessar o Twitter do Jornal Laboratório da UFSC, @zeroufsc, que foi usado como canal na cobertura.

Os exemplares dos jornais laboratório presentes no evento estão arquivados na IN – Agência Integrada de Comunicação. Vale à pena conhecer como as outras faculdades estão fazendo Jornalismo pelo estado.

Jornais Laboratórios que participaram do evento:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Um ambiente para experimentar

por Ana Paula da Costa, Pietra Garcia, Pricilla Tiane Vargas e Wiliam Koester

Quem lê um jornal nem imagina a correria que é a sua confecção. É um material complexo que passa pelas mãos de várias pessoas até chegar às mão do leitor. O tempo é apertado e não há muitas chances para errar, por isso a universidade é o lugar perfeito para experimentar.

E é para aprender como agir no exercício da profissão que os acadêmicos de jornalismo circulam pelos corredores que vão da Biblioteca, passam pelo bloco 10 e 11 até chegar no bloco 12, no campus Itajaí da Univali. Lá, em cada uma das salas, é possível encontrar professores e acadêmicos interagindo e respirando os elementos da profissão de jornalista.

Desde o primeiro período, surgem conteúdos que vão integrar o jornal laboratório Cobaia, fruto do trabalho de alunos e professores na Agência Integrada de Comunicação. É de lá que saem os jornais que são lidos nos mais diversos lugares do campus.

Confira a versão impressa do Cobaia

Subindo as escadas do bloco 12, encontramos a sala do Núcleo de Projetos em Comunicação, onde professores e alunos se dedicam a refletir e pesquisar sobre a profissão. O Monitor de Mídia, grupo de pesquisa que completou dez anos de existência em 2011, analisa a produção dos meios de comunicação da região. Atualmente, oito alunos trabalham no projeto, com bolsas de pesquisa, sob a orientação das professoras Laura Seligman e Valquíria Michela John.

O objetivo das pesquisas é fazer com que os alunos coloquem em prática os conhecimentos aprendidos em sala de aula, de modo que desenvolvam, como profissionais, o senso critico em relação à mídia e à educação. “Não existe teoria sem prática, nem prática sem teoria”, lembra a professora Valquíria.

Saiba mais sobre a pesquisa no Curso de Jornalismo

Matéria produzida por acadêmicos do segundo período do Curso de Jornalismo, na disciplina de Ciberjornalismo, sob a orientação da professora Laura Seligman.